sábado, 19 de dezembro de 2015

Trechos perdidos #1 - Trecho de um dos meus livros

Oi Oi
Só vim para dividir uma coisa que eu nunca dividi com ninguém
É  um pequeno trecho de um dos meus livros. Um que eu tenho muito carinho e amor <3 que comecei a escrever há muito tempo, muito mesmo.
É um livro sobrenatural que claramente vocês verão uma HOMENAGEM e não um plágio a J.K Rowling.



Fechar os olhos e ter a certeza de que tudo acabou.
Sentir a alma sendo arrancada do meu peito.
Ter toda a felicidade, amor e ódio sendo sugados e levados.
Como se toda a vida tivesse acabado.
Talvez ela tenha.
Talvez eu tenha que partir.
Partir para outro mundo.
Um mundo que espera a chegada de uma simples alma mortal.
Me disseram uma vez que há duas formas de partir. Duas formas de chegar ao outro lado.
A fácil e a difícil.
Eu, particularmente, aceitaria a fácil. Acolheria a morte, a beijaria como uma velha amiga e partiria.
Mas como escolher algo que já foi decidido por mim?
Eu chegaria ao outro lado da maneira mais difícil.
Permaneceria no meu próprio inferno.
Talvez por dias ou talvez por séculos.
Não se sabe quando se tem uma alma sem salvação, uma alma corrompida, uma alma levada pelas trevas.
As próprias trevas que existe em mim.
Agora só restaria abrir os olhos e dizer olá para escuridão solitária e ter a certeza de que só existiria uma coisa que ainda restava em mim.
O extinto de sobrevivência. 


- 31dO - Livro 1
Danielle Borghi

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Poema II

Tenho pena de ti
Tenho pena de como acorda todas as manhas achando que ele lhe amas
Mas não amas
Apenas mais uma em uma cama usada por tantas vezes
Por tantas pessoas
Por tantas mulheres
Mulheres iguais a ti
Jovens
Inocentes
Apaixonadas
Frágeis
Sonhadoras
Sonhando com o amor
Que esse amor vai durar para sempre
Mas como durará?
Como durará um amor que nunca existiu?
Um amor que passa de mulher para mulher
Como um premio
Um premio por conseguir mais uma.
Mais uma inocente.
Uma inocente que acha que nunca vai acabar.
Que nunca vai chorar.
Que sempre vai sorrir.
Mas por trás dos teus sorrisos
Sorrisos que julgas felizes
Há alguém
Alguém que nunca se satisfaz